Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

China vai intensificar controle na internet para promover “valores socialistas”

País comunista quer reforçar a supervisão do Estado a sites de notícias e plataformas online.

Share America | Divulgação

A ditadura chinesa vai intensificar seus mecanismos de controle para promover uma internet “civilizada”, reforçando a supervisão do Estado a sites de notícias e plataformas online, visando a propagação de “valores socialistas”, afirmou a agência de notícias estatal Xinhua, controlada pelo Partido Comunista da China (PCC).

Após anos de crescimento descontrolado e rápidas mudanças, os órgãos reguladores do país asiático têm tentado fortalecer o controle sobre a sociedade com uma supervisão mais rigorosa em vários setores, como tecnologia, educação e entretenimento.

O ciberespaço deverá ser usado para promover educação sobre o Partido Comunista e seus feitos, segundo orientações publicadas pelo Conselho Estatal do país.

Na web, tem que ser tomada uma posição clara contra o “niilismo histórico”, definido como qualquer tentativa de usar o passado para questionar a liderança do PCC ou a “inevitabilidade” do socialismo chinês, e bons “valores morais” devem ser promovidos, como casos que envolvem trabalhadores exemplares.

Normas comportamentais na internet também devem ser reforçadas cultivando “ética” e “regras” que estejam “em conformidade com valores socialistas”, acrescenta a agência.

As plataformas de internet precisarão melhorar a disciplina e a governança sobre plataformas de conteúdo como streaming ao vivo será fortalecida, com o público encorajado a participar da supervisão.

A formulação, revisão e implementação de leis como as relacionadas a crimes cibernéticos e proteção de menores serão aceleradas com a justificativa de ajudar os cidadãos a usar a internet de forma “correta” e “segura”.

Com informações, Reuters e Xinhua.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Casa Branca incluiu 12 empresas do país asiático em lista negra comercial.

Mundo

País comunista se opõe 'firmemente' e afirma que Biden comete 'erro' ao acenar para a ilha.

Mundo

Situação de tenista que denunciou agressão sexual preocupa comunidade internacional.

Mundo

Segundo a mídia estatal, tratamento demonstrou redução em hospitalizações e mortes.