Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Governadora de Michigan sanciona lei que proíbe exigência de máscara em escolas e veta passaporte sanitário

Medida ocorre após críticas e protestos pela gestão rígida durante a pandemia em 2020.

Adam Schultz | Flickr

Apesar de ter afirmado ser “inexequível” e “inconstitucional”, a governadora democrata de Michigan, Gretchen Whitmer, sancionou uma proposta aprovada pela assembleia estadual que, entre outras coisas, inclui a proibição de profissionais da saúde exigirem máscaras nas escolas e evita que os órgãos estaduais obriguem a vacinação de funcionários ou visitantes destes locais.

“O diretor ou profissional de saúde local não deve emitir ou fazer cumprir quaisquer ordens ou outras diretivas que exijam que um indivíduo neste estado com menos de 18 anos use uma máscara facial ou cobertura facial”, afirma um trecho do orçamento de 1.000 páginas.

A nova lei, na prática, pode significar que a imposição de máscara de profissionais de saúde para alunos do ensino fundamental e médio em áreas como os condados de Oakland e Wayne pode ser nula e sem efeito. Em vez disso, a decisão seria deixada nas mãos dos conselhos escolares e distritos.

A sanção ocorreu em 29 de setembro e, desde então, provocou a ira de grupos de esquerda. Um deles, inclusive, ameaçou ingressar na Justiça contra a governadora e a favor da exigência de máscaras, de acordo com o MLive.

“Michigan se juntou às fileiras de alguns dos estados mais regressivos do país instituindo um orçamento que proíbe qualquer tipo de vacinação, qualquer tipo de máscara, qualquer tipo de teste em Michigan para empregadores públicos e privados”, criticou Shanta Driver, líder do movimento esquerdista BAMN (By Any Means Necessary – Por Qualquer Meio Necessário, em tradução livre).

“Esta proibição significa que vamos encontrar, em particular, os jovens deste estado sujeitos à propagação da Covid-19 nas escolas e depois das escolas para as suas comunidades e um índice crescente de mortes e lesões permanentes de jovens em todo o estado”, acrescentou.

Em resposta, o porta-voz da mandatária, Bobby Leddy, afirmou em uma declaração a repórteres que “sempre apoiaremos medidas comprovadas, como vacinas, políticas de máscara inteligente e testes, para manter os alunos seguros e garantir que o aprendizado presencial possa continuar este ano”.

“A governadora demonstrou que acredita que os departamentos de saúde locais e os conselhos escolares locais devem estar envolvidos nessas decisões [sobre máscaras]”, declarou em 22 de setembro David Coulter, executivo do condado de Oakland, segundo a Fox News.

O acordo orçamentário de US$ 70 bilhões impedirá as agências públicas de Michigan de fazer cumprir os mandatos de vacinas para funcionários e visitantes de órgãos públicos, alocará US$ 2,2 bilhões em financiamento para o ensino superior, US$ 50,7 bilhões para agências e programas estaduais, bem como US$ 17,1 bilhões para o orçamento de ajuda escolar.

A sanção do plano orçamentário ocorre depois de Whitmer ter enfrentado críticas e protestos pelo modo de ela ter lidado com a pandemia no ano passado, incluindo a promulgação de algumas das ordens de lockdown mais rígidas dos Estados Unidos.

Comentários

Correspondente internacional na Europa.

Mundo

O processo “Kraken”, da advogada Sidney Powell, finalmente chegou à pauta da Suprema Corte dos Estados Unidos. A ação judicial contém uma auditoria forense...

Mundo

Durante a audiência de terça-feira (15), vários senadores dos EUA pressionaram o CEO da Dominion sobre a conectividade das urnas eletrônicas. O que alguns...

Mundo

A Dominion Voting Systems ainda está sob escrutínio em vários estados-chave onde o Presidente dos EUA, Donald Trump, está contestando os resultados das eleições...

Mundo

Nesta segunda-feira (14), o juiz estadual de Michigan, Kevin Elensheimer, ordenou a divulgação de um relatório redigido sobre os resultados de uma investigação das...

----- CLEVER ADS -----