Conecte-se conosco

Mundo

Grupo chinês atuará em ‘cooperação estratégica’ na indústria de turismo da Argentina

Publicado

em

Arquivo

Sob a justificativa de sair da crise econômica que atravessa, Argentina e China consolidam dia a dia suas relações bilaterais. Neste contexto, o governo do presidente socialista Alberto Fernández acaba de assinar um tratado com uma importante plataforma de turismo chinesa.

Através do ministro do Turismo e Desportos, Matías Lammens, foi formalizado um acordo com o Grupo CTrip, dono do Skyscanner, Trip.com, Ctrip e Qunar, a plataforma turística mais importante da China, com 400 milhões de usuários ativos.

A parceria estabelece uma etapa de cooperação estratégica que promoverá o turismo receptivo na pós-pandemia, para o qual a empresa chinesa se encarregará de ‘levantar e promover’ a indústria do turismo argentino, utilizando múltiplas ferramentas de marketing, apoiadas em tecnologias de ponta, como a Big Data.

Participaram da assinatura do Memorando de Entendimento entre o ministério e o gigante mundial do turismo chinês, o ministro Lammens e o embaixador da Argentina na China, Sabino Vaca Narvaja, que aproveitaram para expressar que “se a Argentina aderir à iniciativa da Nova Rota da Seda, a empresa ajudará o país a se tornar o ‘hub’ dos turistas que viajam à América do Sul”. O ministro Lammens destacou o potencial do turismo chinês, porque “é o maior gasto per capita do mundo”.

Por sua vez, a CEO da CTrip, Jane Jie Sun, destacou que “a Argentina possui um grande número de destinos naturais e ativos culturais muito demandados pelo turismo chinês”. Ela também salientou que “a entrada da Argentina na iniciativa da Nova Rota da Seda pode estimular o investimento em infraestrutura para o turismo”.

Já o embaixador Fernando Vaca Narvaja afirmou que “durante as recentes reuniões das duas sessões na China, das quais participou, o primeiro-ministro, Li Keqiang, garantiu que o seu país crescerá 6% durante 2021 e isso irá gerar uma grande expansão no mercado emissor chinês de turistas”. Vaca Narvaja destacou que “a Argentina está trabalhando para internacionalizar seu sistema eletrônico de vigilância sanitária, o que vai gerar grandes oportunidades de cooperação bilateral”.

Em 2018, com 150 milhões de pessoas viajando ao redor do mundo e gastando cerca de 260 bilhões de dólares, a China se tornou o líder mundial no mercado emissor de turistas. Segundo dados oficiais, entre 2010 e 2018, a chegada de turistas chineses à Argentina triplicou, atingindo cerca de 72 mil visitantes com um gasto diário de US $ 130 e uma permanência média de 15 dias.

A Trip.com Group ltd. é uma empresa fundada em 1999 que rapidamente se tornou uma das maiores empresas de viagens do mundo. Em 2018, suas agências online geraram coletivamente US $ 105 bilhões em vendas. A empresa chinesa é uma provedora de serviços de viagens com quatro plataformas líderes do setor: Trip.com, Ctrip, Skyscanner e Qunar. Por meio de seus sites, a empresa permite que parceiros locais e viajantes de todo o mundo reservem produtos e serviços de viagens através de uma plataforma de transação avançada que consiste em aplicativos móveis, sites da internet e centrais de atendimento ao cliente 24 horas por dia, sete dias por semana.

Suas diferentes plataformas cobrem mais de 2 milhões de rotas aéreas globais que conectam mais de 5.000 cidades em mais de 200 países e territórios. Além disso, eles vendem passagens de trem em 33 países e seus serviços na China são comercializados na Ctrip e Qunar, onde apenas as passagens de ônibus conectam a mais de 3.000 estações. No entanto, para que o acordo de turismo se desenvolva em todo o seu potencial, é necessária uma adaptação abrangente do país. Isso abrange vários aspectos que vão desde a gastronomia e a linguagem na sinalização até os serviços dirigidos diretamente ao turista chinês em hotéis, com áreas especiais dedicadas ao hábito de fumar, em função das restrições em vigor na Argentina.

Outro ponto essencial é que eles possam operar com seus meios de pagamento: na China, o digital substituiu quase totalmente a cédula. É pago no celular, por meio de aplicativos como WeChat e Alipay. Além desse ponto, há também a questão do visto e das formas de agilizar esse processo por meio do telefone celular. A CTrip classifica seus usuários com base nos níveis de consumo e aqueles nos segmentos mais elevados não representam nenhum risco de constituir imigração irregular, caso os mecanismos burocráticos forem relaxados.

5G e a Nova Rota da Seda

Recentemente, a Agência Nacional de Comunicações (Enacom) da Argentina convocou a chinesa Huawei para testar o 5G e ativou oficialmente sua associação para se juntar à iniciativa da Nova Rota da Seda.

“A China está pronta para unir forças para transformar iniciativa da Nova Rota da Seda em um amplo caminho de desenvolvimento e prosperidade comum”, disse o conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi.