Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Argentina e Irã querem ingressar no grupo dos BRICS

Bloco de economias emergentes tem hoje Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Leonardo Hladczuk | MRE

O grupo dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) poderá receber dois novos membros: o Irã e a Argentina.

O Irã quer se tornar integrante do bloco de maiores economias emergentes do planeta. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores do país, a eventual adesão “resultaria em valores agregados para ambos os lados”.

No mesmo sentido, a Argentina também manifestou desejo em fazer parte da aliança. Segundo a Rússia, a intenção foi compartilhada pelo presidente Alberto Fernández.

“Enquanto a Casa Branca pensava sobre o que mais poderia desligar, proibir ou estragar no mundo, a Argentina e o Irã se candidataram para entrar no BRICS”, declarou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova.

José Paulo Lacerda | CNI

Há muito tempo, a Rússia vem pressionando para forjar laços mais estreitos com a Ásia, a América do Sul e o Oriente Médio, e intensificou esforços recentemente para resistir às sanções impostas contra ela por causa de sua invasão ao território ucraniano.

Nesta última segunda-feira (27), os EUA e outras nações do Ocidente prometeram apoio inabalável à Ucrânia, após 28 civis terem sido mortos em diversos ataques russos, incluindo um com mísseis contra um shopping lotado.

A Rússia nega ter como alvo civis no que chama de “operação militar especial” para desarmar a Ucrânia e protegê-la de fascistas. A Ucrânia e seus aliados dizem que a guerra é um ato de agressão sem provocação.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Caso as adesões sejam concretizadas, grupo econômico passaria a contar com membros do Oriente Médio.

Mundo

Em junho, o banco central do país elevou a taxa básica pela 6ª vez neste ano, para 52%.

Mundo

País sul-americano dialogou com o governo chinês durante reunião do G20 na Indonésia.

Mundo

Buenos Aires vive crescente desconfiança na economia doméstica e crises institucionais.

----- CLEVER ADS -----