Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Menina britânica de 6 anos encontra cartão de Natal da China com pedido de socorro de prisioneiros estrangeiros

A menina britânica, Florence Widdicombe, de 6 anos, levou um grande susto ao comprar cartões de Natal para escrever para suas amigas. Em um dos cartões já havia uma mensagem escrita, um pedido de socorro de prisioneiros estrangeiros que afirmam que são forçados a realizar trabalho escravo em uma prisão na China.

Florence havia comprado os cartões com o pai na Tesco, uma rede de supermercados britânica. Chegando em casa, ela viu o texto ao desembalar os cartões.

“Somos prisioneiros estrangeiros na prisão de Xangai Qingpu, na China. Temos que trabalhar aqui contra a nossa vontade. Por favor, ajude-nos e envolva uma organização de direitos humanos. Use este cartão para ligar para o Sr. Peter Humphrey”, dizia o texto.

Florence avisou o pai, que foi ao relevante Peter Humphrey com o cartão. O pai primeiro pensou que era uma piada, mas decidiu agir por causa de todos os detalhes no texto e por ser uma mensagem manuscrita.

A rede de supermercados Tesco retirou das prateleiras os cartões que estavam sendo vendidos para arrecadar dinheiro para pesquisas sobre o câncer. A rede disse que eles vão parar de cooperar com o fabricante chinês se for comprovado o trabalho forçado.

Uma investigação sobre a origem dos cartões também foi iniciada.

Peter Humphrey
Desde então, a BBC teve contato com Peter Humphrey, o homem mencionado no cartão. Ele é um jornalista britânico do The Financial Times. que foi detido na mesma prisão de 2013 a 2015.

Screenshot /The Globe and Mail

“Este cartão foi escrito pelos meus colegas de cela daquele período. Eles ainda estão presos. Acho que sei quem o escreveu, mas nunca direi quem ele é”, disse Humphrey à BBC.

Segundo o jornalista, as condições de vida na prisão chinesa são muito ruins.

“Você fica em uma cela com doze homens”, disse Humphrey.

De acordo com o jornalista, muitos prisioneiros são detidos sem julgamento. Ele próprio nunca teve um julgamento justo. O governo comunista de Xi Jinping alegou que Humphrey obteve ilegalmente dados privados de cidadãos chineses. No entanto, ele insiste que não fez nada ilegal.

As autoridades chinesas negaram que estrangeiros realizam trabalho forçado em prisão em Xangai.

O Ministério das Relações Exteriores da China chamou as acusações de “farsa”, sob as quais Humphrey está no controle.

Humphrey ainda não respondeu a essa acusação feita pelo do governo comunista chinês de Xi Jinping.

Comentários

Correspondente internacional na Europa.

Mundo

Professores devem abordar 'pobreza, fome, migração e violência' ocorridos em regimes comunistas.

Governo

Segundo a revista Veja, pelo menos 23 parlamentares do país asiático estiveram em Brasília.

Mundo

É o que diz um documento do Instituto de Pesquisa Estratégica da Escola Militar da França.

Mundo

Líder comunista ordenou a implementação de "regulamentos eficazes e normas precisas" a fim de "servir aos interesses gerais do desenvolvimento econômico".

----- CLEVER ADS -----