Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Músicos norte e sul-coreanos se apresentam juntos na China

O Shanghai Oriental Art Center foi palco de um dueto musical especial neste último domingo (12). Um violinista sul-coreano e uma cantora da Coreia do Norte dividiram o palco, informou a Associated Press.

O concerto aconteceu em um momento em que as tensões entre os coreanos aumentaram novamente. Na semana passada, a Coreia do Norte fez um teste com mísseis de curto alcance duas vezes em direção ao mar do Japão.

Antes da apresentação, o violinista Won Hyung-joon e a soprano Kim Song-mi expressaram sua esperança de que seu desempenho contribuísse para a reconciliação.

Antonin Dvorák

Os dois foram acompanhados musicalmente pela orquestra sinfônica da cidade de Xangai, a maior orquestra sinfônica de amadores da China. Juntos, eles tocaram a peça “Songs My Mother Taught Me”, de Antonin Dvorák e, mais tarde, Kim cantou uma canção folclórica tradicional “Arirang”, que é popular na Coreia do Sul e do Norte.

A apresentação aconteceu em um festival anual de caridade da cidade chinesa, realizado para conscientização do autismo em crianças. A orquestra já havia convidado Kim e Won no começo do ano.

O dueto espera que a música em conjunto traga as Coreias mais perto, em meio à diplomacia nuclear paralisada.

Contato restrito

O concerto conjunto pode ser chamado de único. É extremamente raro que músicos das duas Coreias se apresentem juntos. O contato entre os dois lados é tão restrito que os norte e sul-coreanos não podem trocar telefonemas, cartas ou e-mails, sem a aprovação especial do governo.

No ano passado, quando houve aproximação entre os dois países, houve mais iniciativas como essa. Um grupo de dançarinos e cantores norte-coreanos se apresentou na Coréia do Sul, durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang; e as estrelas sul-coreanas do K-pop voaram para Pyongyang e cantaram na presença de Kim e sua esposa, Ri Sol Ju. Ambos os eventos foram os primeiros do tipo, em mais de uma década. No entanto, nos últimos meses havia um silêncio cultural-diplomático.

Laços e esperança

Embora o concerto do domingo passado não seja susceptível de causar um avanço diplomático, propicia uma melhoria dos laços entre as Coreias.

O Ministério da Unificação da Coreia do Sul disse que aprovou o contato de Won com Kim, como parte dos esforços para apoiar o intercâmbio civil entre os países rivais.

De acordo com a AP, Won disse estar esperançoso de poder continuar a trabalhar junto com Kim, para organizar shows maiores, em cidades do mundo todo – em Pyongyang, Seul ou talvez até em Washington.

“Embora o desempenho de hoje tenha sido por pouco tempo, pelo menos é possível se unir para tocar música neste momento. Não posso deixar de pensar que talvez, apenas talvez, traga mais oportunidades como esta no futuro”, disse Won à AP.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Comentários

Correspondente internacional na Europa.

Mundo

Comunicado foi feito fora do país; presidente americano está em Seul, na Coreia do Sul.

Mundo

Regime comunista ordenou isolamento a mais de 187 mil pessoas no país.

Mundo

É o quarto lançamento de armas neste mês

Mundo

Informação é das Forças Armadas da Coreia do Sul e do Japão