Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Presidente da Rede Mundial de Justiça Eleitoral deve vir ao Brasil monitorar eleições de outubro

Comunidade internacional tem interesse em acompanhar de perto o pleito deste ano.

Divulgação | TSE

As eleições de outubro devem contar com o monitoramento de diversos representantes do país e do mundo, conforme sinalizou Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na semana passada, o magistrado informou que o TSE tem se empenhado em conseguir a presença de mais de 100 observadores internacionais, Segundo ele, o objetivo é “garantir a vinda ao Brasil, antes e durante as eleições, não apenas dos organismos que já mencionamos, mas de diversas autoridades europeias e de outros continentes que tenham interesse em acompanhar de perto o processo eleitoral brasileiro de outubro próximo”.

Com o convite lançado, o presidente da Rede Mundial de Justiça Eleitoral, Rahmat Bagja, deve ser um dos nomes a registrar comparecimento no pleito deste ano. De acordo com a coluna Painel, o indonésio confirmou presença.

A notificação foi feita através de um comunicado. Através do documento, Bagia relata que apoia a iniciativa do Tribunal e diz estar ansioso para colaborar com as delegações envolvidas na missão.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Governo

Ingresso no chamado 'clube dos ricos' é caminho natural, avalia o vice-presidente.

Judiciário

Eleitores poderão comunicar à Justiça Eleitoral a disseminação de fake news.

Política

A menos de quarto meses para o Primeiro Turno das eleições, grupos políticos intensificam análises e estratégias internas.

Mundo

Bulgária, Croácia, Peru e Romênia também avançaram na adesão à entidade.