Conecte-se conosco

Mundo

Respiradores doados por Messi estão abandonados em aeroporto argentino há 10 meses

Equipamentos chegaram ao país em agosto de 2020, mas ainda não foram aprovados pelo órgão regulador.

Published

em

Ramin Rahimzada | Flickr

Mais de 30 equipamentos de ventilação respiratória que o futebolista argentino Lionel Messi doou ao seu país foram mantidos em um depósito por 10 meses por falta de autorização da Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica (ANMAT) da Argentina.

Segundo informações da Infobae, os 32 respiradores fornecidos pela Fundação Messi e que chegaram ao país em 8 de agosto de 2020 ainda estão armazenados no depósito do aeroporto das Malvinas, também conhecido como Fisherton, aguardando aprovação do órgão regulador.

Os equipamentos chegaram ao aeroporto internacional da cidade de Rosário em um voo privado de Barcelona e custeado pela própria Fundação.

Segundo constatou o site Infobae, tratava-se de equipamentos utilizados em centros médicos na Espanha e fabricados pela empresa automotiva Seat. A ideia da doação era que fossem distribuídos nos diversos hospitais e clínicas da cidade de Rosário.

Qualquer equipamento médico que chegue à Argentina do exterior necessita de autorização do órgão estatal para ser utilizado no país. Por este motivo, o atraso de 10 meses para a sua autorização parece explicar-se neste processo de apresentação de documentos e aprovação aduaneira.

Uma fonte próxima ao processo de desembaraço aduaneiro explicou ao jornal Rosário La Capital que o equipamento doado por Messi “está numa espécie de limbo porque os trâmites alfandegários não podem ser concluídos. E até que os papéis sejam apresentados, eles ficarão no armazém fiscal”.

Além disso, ainda deve ser realizado o controle de operação dos equipamentos enviados, processo que seria realizado assim que fosse aprovada a entrada dos respiradores no país.

A chegada dos 32 ventiladores fez parte de uma doação total de 50 ventiladores para os hospitais de Rosário. O envio dos 18 equipamentos restantes estava previsto no calendário da Fundação, embora tenha sido adiado até que fosse resolvida a homologação e entrada do primeiro lote.

O conflito sobre o bloqueio alfandegário e possíveis aprovações ainda está sendo trabalhado a partir de Barcelona.

O problema da homologação desses respiradores é estranho, pois a Fundação Messi já havia enviado ventiladores ao país anteriormente durante a pandemia e eles haviam sido aprovados sem problemas pela ANMAT.

Em maio de 2020, Messi fez uma importante doação à Fundação Garrahan de respiradores artificiais, bombas de infusão e monitores multiparamétricos, que foram distribuídos entre diferentes centros de saúde da Argentina.

A Fundação ainda doou a diferentes hospitais cerca de 8 respiradores de transferência, 4 monitores multiparamétricos, 50 bombas de infusão, 2 monitores multiparamétricos e 13 computadores. Além disso, o atleta doou 500 mil euros (cerca de 43 milhões de pesos na época) para a compra de material médico, por meio da campanha de arrecadação “Juntos pela Saúde Argentina”, promovida pela Fundação Garrahan.

A ajuda de Messi durante o surto da Covid-19 excedeu até mesmo a Argentina. Em março de 2020, ele doou equipamento respiratório e dinheiro para o Hospital Clinic de Barcelona.

Com informações, Infobae.

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.