Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Uma triste carta da Coreia do Norte

Enquanto a covid-19 continua ampliando os desafios enfrentados pelas pessoas na Coreia do Norte, alguns têm procurado seus familiares na Coreia do Sul e em outros países, pedindo ajuda

Enquanto a covid-19 continua ampliando os desafios enfrentados pelas pessoas na Coreia do Norte, alguns têm procurado seus familiares na Coreia do Sul e em outros países, pedindo ajuda

Por Portas Abertas

Uma carta de uma mãe na Coreia do Norte foi recebida recentemente por sua filha Sonyong Lee*, que mora na Coreia do Sul. Uma das cartas diz: “Entendo suas circunstâncias difíceis ao tentar se estabelecer em sua nova vida na Coreia do Sul. Mas é um momento muito difícil aqui. Por favor, me ajude mais uma vez”. A mãe de Lee recebeu algum dinheiro dela em março, e claramente não foi fácil para ela pedir ajuda novamente. Mas com o custo dos alimentos aumentando e o estoque de alimentos importados acabando, cidadãos comuns precisam de mais ajuda do que nunca para sobreviver na Coreia do Norte.

Mas enviar dinheiro para sua mãe na Coreia do Norte é difícil, explica Lee. “Eu tenho que pagar uma alta porcentagem de comissão”, conta. Com a segurança reforçada nas fronteiras devido à Covid-19, muitas atividades dos corretores e contrabandistas da Coreia do Norte diminuíram radicalmente. Quando Lee perguntou a um corretor sobre o envio de dinheiro para sua mãe o mais rápido possível, ele respondeu: “Tenho medo de fazer essa transição hoje em dia, pois há uma verdadeira repressão aos desertores e corretores norte-coreanos. Agora não, mas vamos esperar até que o nível atual de segurança se acalme”, explicou.

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Informações sobre Direitos Humanos da Coreia do Norte na Coreia do Sul em março do ano passado, entrevistando 414 desertores norte-coreanos, mostrou que seis em cada dez desertores enviaram dinheiro para seus familiares na Coreia do Norte. O valor médio de envio por pessoa é de aproximadamente 2.460 dólares. Esse dinheiro enviado para a Coreia do Norte por membros da família não ajuda apenas seus parentes – faz parte da ‘economia dos desertores’, que desempenhou um papel significativo no apoio à economia na Coreia do Norte. Sem ele, a crise econômica na Coreia do Norte só vai piorar e muitas pessoas comuns não sobreviverão.

Por favor, continue orando para que o amor de Deus penetre nos corações do regime norte-coreano e os leve a mudar, para que eles queiram ajudar os milhões de pessoas que sofrem em sua nação.

Ore para que Deus alcance e seja Senhor e Provedor do povo norte-coreano, trazendo-lhes força, conforto e esperança, além de suprimentos vitais, como alimentos e medicamentos. E peça a Deus que chame nossos irmãos e irmãs norte-coreanos para serem a luz de Deus neste momento sombrio.

 

Comentários

Jornal digital comprometido com a cobertura e a análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | FALE CONOSCO: contato@conexaopolitica.com.br

Mundo

Regime comunista ordenou isolamento a mais de 187 mil pessoas no país.

Economia

Aumento está relacionado à expansão do comércio online, diz associação.

Política

Foram apreendidos quase R$ 2 milhões na residência de Adriana Belém

Política

Prazo também vale para pagamento da primeira cota