Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Alcolumbre libera R$ 200 mil dos cofres do Senado para diretora-geral fazer doutorado em SP


Pelos próximos dois anos, a diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, realizará um curso de doutorado em administração de empresas na FGV (Fundação Getúlio Vargas), em São Paulo/SP.

As despesas serão pagas com dinheiro público.

Em ofício assinado pelo presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP), o parlamentar autoriza que a Casa arque com o pagamento das aulas, que custarão R$ 200 mil.

A informação é do Metrópoles.

Nesse período, a servidora continuará a receber o salário bruto de R$ 44.600,00 e deve manter as atividades no órgão. O doutorado começa no ano que vem.

Além do próprio curso, o Senado também custeará a inscrição, diárias, passagens e seguro-saúde. Esses valores ainda não foram divulgados porque dependerão da quantidade de vezes que a profissional terá de ir a São Paulo entre 2021 e 2022.

Ofício em que Davi Alcolumbre, presidente do Senado, autoriza “apoio financeiro” à diretora-geral da Casa, Ilana Trombka. — Imagem: Divulgação/Metrópoles

Ao ser questionado, o Senado Federal emitiu nota dizendo que aulas de aperfeiçoamento se justificam porque “são essenciais para a gestão e administração do Senado e compatíveis com a função desempenhada pela servidora”.

Veja o posicionamento na íntegra:

“Cabe registrar que a atividade de capacitação em comento trata-se de Doutorado profissionalizante e, segundo o órgão técnico desta Casa Legislativa, o curso de Doutorado em Administração da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) visa fornecer ao corpo diretivo da Casa conhecimentos relativos a processos de transformações nas organizações.

Como se observa, esses conhecimentos são essenciais para a gestão e administração do Senado e compatíveis com a função desempenhada pela servidora. Respaldada no art. 59 do Anexo IV do Regulamento Administrativo do Senado Federal (resolução n° 13/2018), uma vez que a servidora realizará o programa de doutorado concomitante ao desempenho das atividades do seu cargo, não necessitando se afastar do Senado Federal.

O programa de doutorado tem duração de 36 (trinta e seis) a 48 (quarenta e oito) meses e os custos serão divididos em 36 parcelas mensais no decorrer da capacitação.

Por fim, ressaltamos que a capacitação em tela, além de seguir os ditames preconizados na Lei n° 8.666/1993 e no Regulamento Administrativo do Senado Federal, foi objeto de análise técnica do Comitê Científico-Pedagógico e análise jurídica da Advocacia do Senado, recebendo parecer favorável de ambas as áreas”.

Ilana Trombka foi procurada, mas informou que não irá se pronunciar a respeito do caso.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Congresso

Cúpula do colegiado entregará parecer de Renan Calheiros ao Tribunal Penal Internacional, em Haia.

Política

Decisão do TCU obrigou a revisão de recursos repassados a canais de TV.

Política

Presidente da CCJ não definiu data, mas arguição deve ocorrer na semana que vem.

Política

Ex-ministro, que aguarda a filiação do presidente, disputaria pelo estado de São Paulo.