Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Ciro Gomes defende estatização da Petrobras: “Se venderem, eu tomo de volta”

Pedetista criticou a intenção do governo federal de quebrar o monopólio da petroleira.

BNews Site | Flickr

O ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), defendeu nesta última terça-feira (26) o atual modelo de estatização da Petrobras. Segundo ele, a privatização da petroleira prejudicaria os brasileiros.

“Se venderem a Petrobras, eu tomo de volta com as dívidas indenizações”, declarou o pedetista, já projetando cenário de vitória nas eleições presidenciais de 2022, que ele deve disputar.

Na visão dele, a alta dos combustíveis é justificada pela precificação baseada no dólar, que atualmente está em alta. A saída para isso, então, seria cobrar o custo do combustível em real.

Ciro ainda chamou de “estratégia maligna” a intenção do governo federal de desestatizar e quebrar o monopólio da companhia, pois isso atenderia a “interesses internacionais”.

“Só dor de cabeça”

Também nesta terça, em entrevista à Jovem Pan, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a falar que considera privatizar a estatal.

Segundo ele, a Petrobras só serve para lhe dar “dor de cabeça” e para prestar serviço a acionistas.

Foi a terceira vez só em outubro que o chefe do Executivo sugeriu a possibilidade de capitalização da empresa pública, hipótese que o mandatário rejeitava durante o início do mandato.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Decisão, segundo ele, pode ser revista dependendo da votação da proposta em 2º turno.

Política

Ex-governador do Ceará afirmou que o Brasil não tem 'boas práticas' para apresentar na COP-26.

Judiciário

Em recurso contra Palocci, estatal reconhece 'existência de um esquema de corrupção'.

Economia

Segundo a estatal, essa distribuição se soma aos R$ 31,6 bilhões anunciados em agosto deste ano.