Conecte-se conosco

Política

Contrariando entendimento cristão, embaixador chinês no Brasil publica que “o povo é Deus”

Internautas interpretaram a postagem de Wanming como uma eventual resposta à declaração feita por Jair Bolsonaro.

Published

em

Romulo Serpa | Agência CNJ

Para muitos, a recente publicação do embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, não encontra paralelo na história contemporânea da diplomacia brasileira.

Um tweet do representante diplomático desencadeou muitas reações nas redes sociais neste último domingo (18).

“Quem é Deus? O Povo é Deus, é o povo que faz a história e determina a história”, escreveu o preposto do regime comunista chinês.

Após a publicação, muitos brasileiros se mostraram indignados e acusaram a autoridade asiática de desrespeitar a fé alheia, uma vez que esse tipo de entendimento está longe de ser a forma como os brasileiros compreendem a figura de Deus. 

“Deus é o nosso horizonte, é Ele que nos dá esperança, somos um povo cristão, respeite nossa fé e quem tira o presidente Jair Bolsonaro da cadeira de chefe do Executivo é somente Ele”, escreveu a usuária Marleide.

“É um escárnio! A China através do embaixador ofende o Brasil em todo tempo e fica sempre por isso mesmo”, registrou a internauta Carinna Santos.

“No comunismo, o povo é só escravo, enquanto o ditador se acha um Deus. O Brasil não terá esse destino”, respondeu o leitor Bell Rodrigues.

“O povo do seu país pode tomar as rédeas da própria história, embaixador?”, questionou FeCruz.

Internautas interpretaram a postagem de Wanming como uma resposta à declaração feita por Jair Bolsonaro ao receber alta do hospital, onde estava internado desde quarta-feira (14).

Em conversa com repórteres, o mandatário voltou a defender o voto impresso auditável e disse que “só Deus” o tiraria da chefia do Executivo federal.

“Querem derrubar o governo? Já disse: só Deus me tira daquela cadeira. Será que não entenderam que só Deus me tira daquela cadeira? Se aparecer corrupção em meu governo, serei o primeiro a buscar maneiras de apurar e deixar na mão da Justiça para que esse possível responsável seja punido. Estamos há dois ano e meio sem corrupção”, afirmou, na ocasião.

O ex-ministro das Relações Exteriores do governo Bolsonaro, Ernesto Araújo, também reagiu ao post do embaixador da China, mas sem mencioná-lo.

“Quis ut Deus?” (Quem é como Deus?). Essa é a tradução latina do nome hebraico מיכאל – Micael, o Arcanjo Miguel que enfrenta o demônio e sua arrogância. Para os cristãos, Deus é Pai, Filho e Espírito Santo, a Trindade envolta em mistério, mas presente na nossa vida e nosso coração”, escreveu Araújo.