Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

FHC anuncia voto em Lula em caso de segundo turno contra Bolsonaro

Ex-presidente diz que Doria tem chances, mas vê espaço para apoiar PT em 2022.

Valter Campanato | Agência Brasil
Valter Campanato | Agência Brasil

O PSDB, que há décadas emplacou uma oposição incongruente ao PT, agora manifesta nitidamente as semelhanças mais íntimas que existem entre as siglas.

Em entrevista ao Poder360, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso voltou a falar que votaria em Lula caso o segundo turno seja contra o atual presidente, Jair Bolsonaro.

“Se houver Lula contra Bolsonaro, a polarização fica feia. Se isso ocorrer, vou ficar ao lado do Lula, fazer o quê? O que o Lula diz não é propriamente o que ele faz. Lula sempre foi uma pessoa de negociação. Se você deixar, ele te convence que tem razão e você vai junto dele. É uma característica boa para ele e perigosa para o Brasil se ele for por um caminho errado. Mas não acho que haja risco de ele ir para um caminho errado. Mas repito: prefiro um candidato do meu partido, que não seja do PT”, avaliou.

Aos 90 anos, FHC disse acreditar que o governador de São Paulo é o nome com “mais chances” de encabeçar a chamada terceira via em 2022.

Com as prévias marcadas para novembro, a legenda trava uma batalha interna para definir quem será o candidato ao Palácio do Planalto. Até o momento, o principal concorrente do paulista é o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

“Acho que o Doria tem mais chances porque São Paulo é mais cêntrico. O Doria também tem uma ligação com a Bahia, seus pais são baianos. Isso conta simbolicamente”, declarou o sociólogo.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Presidente aposta em dois nomes considerados de peso para o pleito de 2022.

Política

Ex-ministro da Saúde deve tentar uma vaga no Legislativo.

Governo

Mandatário manifestou preocupação sobre o assunto.

Política

Presidente do Senado fez alusão a JK e disse ser o 'início de um caminho de reconstrução' do país.