Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Gabriel Monteiro apresenta defesa em processo de cassação de mandato

Vereador carioca responde a uma ação no Conselho de Ética por quebra de decoro.

Divulgação/Câmara do Rio

O vereador carioca Gabriel Monteiro (PL) apresentou, na noite de segunda-feira (9), sua defesa prévia ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal. Ele responde a processo de quebra de decoro.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) investiga o parlamentar por fatos como a utilização de servidores públicos na produção de vídeos para suas redes sociais, a divulgação de um suposto vídeo com cenas de sexo entre o vereador e uma adolescente de 15 anos e a exposição de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, segundo informações da Agência Brasil.

A partir da apresentação da defesa, tem início a instrução do processo que pode durar de 30 a 45 dias. Depois disso, o relator Chico Alencar (PSOL) dará o parecer sobre o caso e abre-se espaço para nova defesa de Monteiro, caso o relatório seja pela procedência da denúncia.

O Conselho de Ética, então, vota o parecer do relator e, se for aprovado pela maioria absoluta dos seus integrantes, segue para votação em plenário.

A cassação precisa ser decidida por pelo menos dois terços dos vereadores (34 dos 51). Já a suspensão do mandato pode ser definida com apenas maioria absoluta.

Gabriel Monteiro ficou famoso por seus vídeos no YouTube e tem milhões de seguidores em suas redes sociais. Ele nega as acusações, diz que está sendo perseguido e que as imagens usadas contra ele foram manipuladas.

“Vou esperar a Justiça. Mas daqui a quanto tempo vai ser provada a minha inocência? Daqui a três, quatro, dez anos? Enquanto isso durar, terei esse peso nos meus ombros. Mas, ainda assim, vou continuar fazendo meu trabalho”, disse o vereador, em vídeo publicado na última semana em suas redes sociais.

Comentários

FALE COMIGO: davy@conexaopolitica.com.br — chefe de redação do Conexão Política e natural do Rio de Janeiro (RJ).

Últimas

Juíza disse que não houve nenhuma mudança que justifique revogação

Judiciário

Defesa alega falta de tempo para analisar laudos juntados ao processo

Últimas

Em depoimento à polícia, mulher que estava no carro descartou qualquer intervenção de terceiros.

Últimas

Início das filmagens estava prevista para 16 de maio.