Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Linguagem neutra: Joinville é mais uma cidade brasileira a barrar projeto de lei

Poder público veta termos como “amigue”, “elu” e “todes”.

Mercedes Mehling | UnSplash

Na segunda-feira (20), o prefeito de Joinville (SC), Adriano Silva (Novo), sancionou um projeto de lei que proíbe o uso da chamada linguagem neutra pelo poder público do município.

A partir de agora, membros da administração pública e do Poder Legislativo da cidade, assim como autarquias e outras organizações, estão desautorizados a utilizar esse tipo de linguagem.

A lei foi proposta pelo vereador Wilian Tonezi (Podemos). Para ele, “a inclusão de linguagem neutra seria uma afronta à língua portuguesa, traria confusão ao processo de aprendizagem das crianças, geraria inexatidão nos textos oficiais, além de ser uma imposição semântica que privilegia uma ideologia minoritária, não natural à sociedade como um todo”.

A proibição também vale para escolas, ambientes de ensino e bancas examinadoras de seleções e de concursos.

Caso a norma seja descumprida, deve ser aberto um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Política

Projeto do deputado Márcio Fernandes (MDB) foi sancionado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Política

Proposta prevê a obrigatoriedade da norma culta e veta expressões como 'todes’ e ‘todxs’.

Política

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma afirma que o assunto atende a interesses externos.

Política

A comunicação neutra propões teor inclusivo para pessoas que se consideram ‘não-binárias’.