Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Malafaia aponta três ministros do governo ‘contrários’ a Mendonça no STF e cobra posicionamento

Indicação do ex-advogado-geral segue travada na CCJ.

Isac Nóbrega | PR

O pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), publicou um vídeo em suas redes sociais apontando três ministros do governo Bolsonaro que, segundo ele, estariam “prejudicando” a entrada de André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em sua fala, o religioso cobrou uma manifestação pública de Ciro Nogueira (Casa Civil), Fábio Faria (Comunicações) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo) sobre o nome escolhido pelo chefe do Executivo.

André Mendonça foi indicado em 13 julho pelo presidente da República para ocupar a vaga deixada pelo ministro Marco Aurélio de Mello. No entanto, o nome de Mendonça não avançou a primeira fase para ingressar na Corte, uma vez que Alcolumbre não definiu a data da sabatina no Senado.

Ao comentar sobre o cenário, Malafaia questionou um jantar que o ministro da Casa Civil teria tido com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid.

“Como pode, gente? A Folha de São Paulo dizendo que Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, um dos mais importantes cargos políticos, vai jantar com Renan Calheiros, o cara que quer destruir Bolsonaro por interesses políticos”, indagou.

O pastor foi enfático ao cobrar uma resposta de Nogueira em defesa da indicação de Mendonça.

“Se o senhor Ciro Nogueira não foi jantar com ele [Calheiros] e se o senhor Ciro Nogueira é a favor da indicação de André Mendonça, convoque a imprensa. Não é pra mim, não. O senhor é obrigado a vir a público dar uma satisfação”, disse.

Na sequência, Malafaia cobrou também apoio de Fábio Faria.

“Ministro, o senhor é obrigado emitir uma nota clara de apoio a André Mendonça. Os ministros palacianos são políticos, ele [Faria], o ministro Ciro Nogueira e a ministra Flávia Arruda, que é da Secretaria de Governo, são políticos. Eles são obrigados a emitir nota e [a] trabalhar pela indicação do presidente. Isso é uma vergonha, minha gente”, completou.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Congresso

Tensão continua nos bastidores do Congresso.

Congresso

Advogados da Casa responderam ao processo no STF ajuizado pelos senadores Kajuru e Vieira.

Judiciário

Ex-advogado-geral foi indicado ao Supremo no dia 13 de julho e ainda aguarda ser ouvido pelo Senado.

Judiciário

Indicado por Bolsonaro, ex-AGU aguarda desde o dia 13 de julho.