Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Página ‘Quebrando o Tabu’ é criticada após defender ‘pontos positivos’ da ditadura chinesa

Perfil esquerdista excluiu a publicação após a repercussão negativa nas redes sociais.

Greg Baker | Flickr

Uma publicação do perfil esquerdista “Quebrando o Tabu” sobre a China está dando o que falar nas redes sociais.

No post, a página comenta sobre “altos e baixos” do período comandado pelo ditador Mao Tsé-Tung, entre 1949 e 1976.

O regime é tratado no texto como “nem mocinha nem vilã” e, ao citar qualidades, são citados exemplos como “moradia para todos”, “desemprego zero” e “estabilidade política”.

No entanto, como se sabe, o tirano chinês foi líder de um dos maiores morticínios da história, ao lado de Hitler, Mussolini e Stalin.

Ao mencionar o genocídio no país comunista, a “Quebrando o Tabu” se limitou a dizer que a morte de 50 a 80 milhões de pessoas foi uma “tragédia absurda”.

Por conta disso, internautas passaram a criticar o perfil, por supostamente romantizar a figura autoritária do Partido Comunista Chinês (PCC).

Voltou atrás

Após a repercussão negativa, a página excluiu a sequência de publicações sobre a China e pediu desculpas ao público.

“Nossa intenção e missão é trazer informações, promover debates e reflexões sobre diversos assuntos. Dessa vez, não funcionou e surgiram visões da audiência que nos fizeram refletir sobre o post”, escreveu.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Porta-voz do regime comunista criticou países que 'usam o tom de um professor de democracia'.

Economia

Comitê afirma que a inflação ao consumidor está mais persistente.

Mundo

Moradores de Xangai estão confinados em suas casas há pelo menos três semanas.

Mundo

Pequim não está "disposta" a criticar a invasão militar na Ucrânia, afirmou Jens Stoltenberg.