Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Partido Novo manifesta apoio ao impeachment de Bolsonaro

Sigla diz que decisão veio à tona após a CPI da Covid.

O partido Novo divulgou uma nota nesta segunda-feira (5) em apoio ao impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com a legenda, Bolsonaro cometeu crimes de responsabilidade e, a partir disso, deve ser aberto um processo de afastamento na Câmara dos Deputados.

“Após detalhada análise técnica, consultas a juristas, discussões, e ampla reflexão sobre os fatos apresentados e consolidados pela CPI [Comissão de Inquérito Parlamentar] da Pandemia, o Novo conclui de forma inequívoca que o presidente Jair Bolsonaro cometeu diversos crimes de responsabilidade previstos na Lei Federal nº 1.079/50”, diz um trecho do comunicado.

Ainda segundo o Novo, a CPI da Covid no Senado traz fatos que corroboram pela saída de Bolsonaro. São eles:

1) Omissões e péssimas ações na gestão da pandemia, sobretudo no descaso com a aquisição das vacinas;

2) Fortes indícios de prevaricação em denúncia de esquema de corrupção na compra do imunizante Covaxin;

3) e Interferências na Polícia Federal, Ministério da Justiça e Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

Trajetória nem tão nova

Fundado há cerca de 10 anos, o Partido Novo buscou emplacar uma imagem de partido conservador no pleito de 2018, ainda que não declarasse essa posição abertamente.

Cientes da força ‘bolsonarista’ naquele ano, candidatos da sigla traçaram uma ampla estratégia para puxar votos do eleitorado de Jair Bolsonaro, candidato à presidência da República pelo PSL.

Após o tão disputado pleito, o Novo passou a se opor a diversas pautas do governo federal, abandonando definitivamente a base governista.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Governo

Anuncio ocorreu nesta quinta, 16, durante a live semanal do presidente.

Política

Christian Lohbauer critica comportamento da direção e insistência na defesa do impeachment de Bolsonaro.

Governo

MP dificultava que redes sociais retirassem postagens do ar.

Congresso

Presidente da Câmara afirma que iniciativa foge ao escopo da CPI.