Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Saúde

Anvisa rejeita uso da CoronaVac em crianças e adolescentes

Diretores avaliam que o Butantan precisa produzir mais estudos sobre eficácia e segurança nesse público-alvo.

Emanuel Borges da Silva | Flickr

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou, nesta quarta-feira (18), o pedido feito pelo Instituto Butantan para aplicar a vacina CoronaVac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos.

Até o momento, a substância chinesa foi liberada apenas para uso emergencial de brasileiros com mais de 18 anos. No país, o único imunizante que pode ser usado em adolescentes, de 12 a 17 anos, é o da norte-americana Pfizer.

O pedido do Butantan foi feito com base em documentos de estudos feitos em crianças e adolescentes fora do Brasil. Aqui, os testes clínicos foram realizados somente em adultos, mas a Anvisa aceita dados internacionais, desde que atendam a todos os requisitos de segurança.

A diretora Meiruze Sousa Freitas alegou que os dados clínicos de segurança sobre o público-alvo foram considerados insuficientes pela área técnica do órgão.

“Além de não ser conhecida a proteção conferida pela vacina em população pediátrica, a duração da potencial proteção também não é conhecida”, declarou. Ela foi acompanhada pelos diretores Romilson Rodrigues Mota e Alex Machado Campos, formando maioria no colegiado.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Comissão quer que Estados-membros relaxem restrições para vacinas aprovadas pela OMS.

Congresso

Cúpula do colegiado entregará parecer de Renan Calheiros ao Tribunal Penal Internacional, em Haia.

Saúde

Sobre o Brasil, ela se mostrou receosa com as discussões em curso acerca da realização do Carnaval.

Governo

Pasta também determinou a redução do intervalo entre as aplicações.