Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Mais de 1,3 milhão de empresas foram abertas no Brasil em 2022

Índice diz respeito ao 1º quadrimestre do ano, num aumento de 11,3% em relação a 2021.

Dylan Gillis | Unsplash

Mais de 1,3 milhão de empresas foram abertas no Brasil durante o primeiro quadrimestre de 2022. A informação foi divulgada na segunda-feira (6) pelo boletim Mapa das Empresas, ferramenta disponibilizada pelo governo federal.

Em tendência de alta, o número representa um aumento de 11,5% em relação ao último quadrimestre de 2021.

Segundo o Ministério da Economia, os dados mostram o crescimento positivo da economia e as facilidades para empreender no Brasil com a desburocratização e a digitalização dos processos.

No total, foram 1.350.127 empreendimentos abertos, contra 541.884 empresas fechadas nos primeiros quatro meses do ano, portanto, o saldo positivo ficou em 808.243 no período.

Com esse resultado, o total de empresas ativas no país subiu para 19.373.257. Em comparação com o primeiro quadrimestre de 2021, houve uma pequena desaceleração no ritmo de criação de novas empresas, com redução de 3,2%.

Em relação ao tempo de abertura para abrir uma empresa, o país apresentou melhor resultado desde o início da série histórica, quando o tempo médio era de 5 dias e 9 horas.

Em média, demorou 1 dia e 16 horas, 48,1% mais rápido se comparado ao mesmo período de 2021 e 16,7% mais rápido do que em relação ao último quadrimestre do ano passado.

Estados com maior percentual de aberturas em relação ao mesmo período de 2021

– Tocantins (28,6%)
– Mato Grosso (24,9%)
– Mato Grosso do Sul (22,1%)
– Goiás (21,8%)
– Santa Catarina (20,7%)

Estados com menor percentual de aberturas em relação ao mesmo período de 2021

– Pernambuco (5.9%)
– Espírito Santo (3,2%)
– Rio de Janeiro (2,2%)
– Alagoas (1,1%)
– Amapá (-3,5%)

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Economia

Taxa básica de juros está no maior nível desde janeiro de 2017

Economia

Instituições consultadas pelo Banco Central também esperam alta no PIB para 2022.

Economia

Desocupação no país foi a 9,8%, no mais baixo patamar desde 2016.

Economia

Estudo divulgado pelo Ipea utiliza como base os dados da Pnad Contínua, do IBGE.

----- CLEVER ADS -----