Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Biden revoga ordem de Trump sobre os Institutos Confúcio, apesar das preocupações com o avanço da propaganda chinesa nos EUA

"File:Bust of Confucius, Confucius Institute building on the Troy University campus, Troy, Alabama on 16 March 2018 (cropped).jpg" by Kreeder13 is licensed under CC BY-SA 4.0

O Governo Biden revogou a diretriz proposta por Trump sobre os Institutos Confúcio, apesar das preocupações com o avanço da propaganda comunista chinesa nos EUA.

Biden está recebendo reação por rescindir uma ordem que o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, submeteu ao Departamento de Segurança Interna exigindo que as universidades dos EUA revelassem seus laços com os Institutos Confúcio.

O governo Trump apresentou a nova diretriz em 31 de dezembro de 2020. Mas, menos de uma semana após o início do governo Biden, a política foi retirada.

Os Institutos Confúcio nos EUA se apresentam como órgãos que “visam ensinar a língua e a cultura chinesa” aos americanos. No entanto, após investigações minuciosas de autoridades americanas no ano passado, em meio a alegações de que há disseminação de propaganda comunista chinesa,de censura chinesa e possível espionagem através desses institutos, o governo Trump decidiu frear a estratégia do Partido Comunista Chinês de se instalar no campo acadêmico americano.

Em agosto de 2020, o ex-secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, listou os Institutos Confúcio como uma “missão estrangeira” da República Popular da China. Pompeo declarou que o Instituto Confúcio é “uma entidade que promove a propaganda global de Pequim e a campanha de influência maligna nos campi dos EUA e nas salas de aula do ensino fundamental e médio”. Os institutos são “financiados pelo governo chinês e são parte da influência global e do aparato de propaganda do Partido Comunista Chinês”, acrescentou.

E a Human Rights Watch advertiu em seu relatório de 2019 sobre a China que os Institutos Confúcio são extensões do governo comunista chinês que censuram certos tópicos e perspectivas em materiais de curso por motivos políticos e usam práticas de contratação que levam a lealdade política em consideração.

Em uma declaração divulgada em 9 de fevereiro, o líder republicano do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos EUA, Michael McCaul, encorajou fortemente o governo Biden a prestar atenção particular ao Partido Comunista Chinês e seus laços com os sistemas escolares americanos.

“Ao se afastar silenciosamente da diretriz proposta sem consultar o Congresso, o governo Biden está enviando um sinal preocupante sobre sua análise da influência do PCC no campo acadêmico, e dizendo às instituições acadêmicas que elas não precisam ser transparentes sobre seus laços com o regime da China. É ainda mais preocupante porque a indústria da educação já falha em relatar bilhões de dólares em doações e contratos estrangeiros. Eu encorajo fortemente o governo Biden a cumprir suas promessas de priorizar o PCC como nosso principal desafio de segurança nacional, incluindo no sistema educacional americano.”

O Campus Reform informou que algumas universidades americanas receberam mais de US $ 24 milhões de fontes do Partido Comunista Chinês desde 2015. Uma quantia significativa do financiamento foi destinada a recursos para divisões do Instituto Confúcio.

Comentários

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

Mundo

É o que diz um documento do Instituto de Pesquisa Estratégica da Escola Militar da França.

Saúde

Sistema combina três funções importantes: controle motor intuitivo, cinestesia de toque e preensão, a sensação intuitiva de abrir e fechar a mão.

Mundo

Líder comunista ordenou a implementação de "regulamentos eficazes e normas precisas" a fim de "servir aos interesses gerais do desenvolvimento econômico".

Mundo

Medida foi adotada em maio, mas aprovada somente agora.