Conecte-se conosco

Política

Deputado diz que Bolsonaro desrespeitou a China e recomenda interdição civil: “Grave doença mental”

Líder da Frente Parlamentar Brasil-China diz que falas do presidente refletem ‘possível desvio de personalidade’.

Publicado

em

Alan Santos | PR

O deputado Fausto Pinato (PP-SP) afirmou, nesta quarta-feira (5), que o presidente Jair Bolsonaro pode ter uma “grave doença mental” que o faz “confundir realidade com ficção”.

A declaração de Pinato ocorre após Bolsonaro fazer um comentário sobre a Covid-19, questionando se a pandemia não poderia ser “uma nova guerra”.

“É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra?”, indagou o chefe do Executivo.

“Qual o país que mais cresceu o seu PIB? Não vou dizer para vocês. Que está acontecendo com o mundo todo, o seu povo, com sua gente, com nosso Brasil?”, acrescentou ele.

Em reação, o parlamentar sugeriu uma interdição civil para tratamento médico, alegando que é visível uma distorção da “realidade com ficção”, além de Bolsonaro possivelmente ter uma grave doença mental”.

Como se não bastasse, Fausto Pinato foi além, subindo o tom contra o líder brasileiro, dizendo que o mandatário proferiu “afirmações desrespeitosas e irresponsáveis contra a China”.

O texto, veiculado pelo deputado, incluía a logomarca da frente parlamentar Brasil-China, que ganhou notoriedade na imprensa após os casos de coronavírus no país.

Confira a nota na íntegra:

Tomando por base a última declaração pública contra a China, feita nesta quarta-feira (5) pelo presidente Jair Bolsonaro, estou preocupado sobre um possível desvio de personalidade da maior autoridade do Brasil”, disparou o parlamentar.

A meu ver, não se trata de uma pessoa irresponsável, desequilibrada e sem noção de mundo. Na verdade, pode tratar-se de uma grave doença mental que faz o nosso presidente confundir realidade com ficção.

Penso que estamos diante de um caso em que recomenda-se a interdição civil para tratamento médico.

O Brasil agradecerá.”

Divulgação

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.