Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

EUA restringem vistos de funcionários da Huawei e colocam parceiros da chinesa em “aviso prévio”

O Departamento de Estado americano anunciou nesta quarta-feira (15) que está impondo restrições de visto a funcionários de empresas de tecnologia chinesas que fornecem apoio material a regimes que praticam violações de direitos humanos — numa referência à própria China. O departamento também colocou em “aviso prévio” empresas de telecomunicações de todo o mundo que fazem negócio com a Huawei.

“Hoje, o Departamento de Estado está impondo restrições de visto a certos funcionários de empresas de tecnologia chinesas que fornecem apoio material a regimes que praticam violações de direitos humanos globalmente. Nos termos da Seção 212 (a) (3) (C) da Lei de Imigração e Nacionalidade, um estrangeiro é inadmissível para os Estados Unidos se o Secretário de Estado tiver motivos para acreditar que a entrada do estrangeiro “teria conseqüências adversas potencialmente sérias na política externa para os Estados Unidos.”, disse a nota enviada pelo Departamento no início da tarde desta quarta-feira.

As empresas afetadas pela ação de hoje, segundo o Departamento de Estado, incluem a Huawei, quem os EUA e outros países consideram braço do Partido Comunista Chinês, que censura dissidentes políticos e permite campos de trabalhos forçados em Xinjiang e a servidão de sua própria população em todo o país.

Por fim, o Departamento emitiu também um alerta contra empresas de telecomunicações de todo o mundo dizendo que “As empresas de telecomunicações em todo o mundo devem considerar-se com aviso prévio: se estão fazendo negócios com a Huawei, estão fazendo negócios com violadores de direitos humanos.”

Comentários

Católico, conservador, correspondente internacional, observador político e criador do site 'Direto da América'. Atualmente vive no estado da Pensilvânia (EUA).

Mundo

Corte suspendeu uma decisão de 1973 que considerava a interrupção da gravidez como direito.

Mundo

Resolução é a mais relevante sobre o assunto no país desde 2010.

Mundo

'Estou bem', disse o presidente logo após o pequeno acidente.

Saúde

Especialistas dos órgãos FDA e CDC foram favoráveis; Moderna e Pfizer serão utilizadas.