Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

“Jerusalém é grande o suficiente para uma capital palestina”, diz Benny Gantz

O primeiro-ministro israelense suplente e ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz, disse que os palestinos mereciam sua própria “entidade” e poderiam ter uma capital em Jerusalém.

Em rara entrevista ao jornal saudita Asharq al-Awsat, Gantz disse que os palestinos “querem e merecem uma entidade na qual possam viver com independência”, segundo relatos da entrevista à imprensa israelense.

No entanto, Gantz não se comprometeu quanto a que tipo de “entidade” ele estava falando.

“Um Estado ou um império, eles podem chamá-lo do que quiserem. É seu direito sentir independência e ter um capital”, disse o ex-Chefe de Gabinete das Forças de Defesa de Israel.

“Queremos uma entidade palestina com contiguidade territorial adequada, que possibilite viver dentro dela com conforto, sem obstáculos ou empecilhos. O que insistimos é na segurança. Precisamos de pontos de observação estratégica para segurança”, disse Gantz.

Gantz chocou alguns com seus comentários sobre Jerusalém.

“Jerusalém deve permanecer unida – mas com um lugar dentro dela para uma capital palestina”, disse Gantz. Quando pressionado para esclarecer o que queria dizer, ele disse apenas que, “[Jerusalém] é uma cidade muito espaçosa e cheia de locais sagrados para todos”.

Gantz apoiou o plano de paz do presidente Trump, mas Gantz não ligou seus comentários a ele. O presidente Trump se referiu a Abu Dis, uma pequena cidade nos arredores de Jerusalém, em seu plano de paz como a futura capital de um Estado palestino.

Segundo o The Jerusalem Post, o ex-prefeito de Jerusalém e atual parlamentar do partido Likud, Nir Barkat, reagiu aos comentários. “Jerusalém é a capital de apenas uma nação, é a capital do eterno povo judeu, e é a capital do Estado de Israel”, disse Barkat.

A entrevista teve como pano de fundo os Acordos de Abraão, em que os Estados do Golfo e outros países muçulmanos têm feito a paz com Israel, desde agosto. Especula-se que a Arábia Saudita se juntará em algum momento, mas seus líderes dizem que Israel deve primeiro fazer a paz com os palestinos e estabelecer um Estado palestino ao longo das linhas de cessar-fogo de 1967.

Comentários

Correspondente internacional na Europa.

Últimas

Desconto maior de 92% da dívida valerá para 548 mil contratos

Mundo

Sintomas foram observados em uma mulher grávida. Ela não estava vacinada contra a Covid-19.

Economia

Mercado financeiro espera por nova alta da Selic para 9,25% ao ano.

Mundo

Nesta terça-feira (30), a Rússia reiterou a parceria estratégica com o Brasil e comemorou a entrada do país, em janeiro de 2022, no Conselho...