Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Maior hospital da Pensilvânia diz que aumento nos casos de covid-19 não ocorreu e anuncia retomada de cirurgias eletivas

A UPMC (University of Pittsburgh Medical Center), maior rede hospitalar do estado da Pensilvânia, disse na terça-feira (21) que o aumento previsto de pacientes com COVID-19 não ocorreu e os casos de coronavírus estão em declínio no centro e no oeste da Pensilvânia.

Diante disso, a UPMC planeja retomar cirurgias eletivas que foram canceladas como resultado de diretrizes do governo para preservar leitos e suprimentos para pacientes com COVID-19.

“O aumento muito alto para o qual nos preparamos simplesmente não aconteceu”, disse Donald Yealy, presidente de medicina de emergência da UPMC.

Dos 5.500 leitos no sistema hospitalar da UPMC, apenas 2% são ocupados por pacientes com COVID-19, assim como 8% por cento das camas de terapia intensiva, de acordo com Yealy.

Os 118 pacientes hospitalizados hoje com COVID-19 nos hospitais da UPMC “não representam um aumento significativo em relação à semana passada”, disse ele.

Yealy disse ainda que a taxa de testes positivos de coronavírus realizados nos hospitais da UPMC caiu para 6,6%, abaixo dos 12% anteriores, outro sinal de que a ameaça de coronavírus está diminuindo nas áreas atendidas pela UPMC.

Além disso, a UPMC tem ouvido pacientes que atrasaram cirurgias relacionadas a problemas cardíacos ou câncer e que “não se sente confortável com a interrupção no atendimento às pessoas que não têm COVID-19”, disse ele.

Comentários

Católico, conservador, correspondente internacional, observador político e criador do site 'Direto da América'. Atualmente vive no estado da Pensilvânia (EUA).

Mundo

Ditador comunista fez discurso em evento do aniversário do armistício que interrompeu a Guerra da Coreia em 1953.

Mundo

Alta de juros para combater níveis recordes de inflação influenciou resultado.

Mundo

Países são dois dos principais mercados para os produtos siderúrgicos do Brasil.

Mundo

Ao menos 84 casas foram invadidas em Guangzhou; governo distrital pediu desculpas.

----- CLEVER ADS -----