Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Rússia: Menina de 7 anos, pesando menos de 9 kg, foi torturada por seis anos por pais adotivos

Uma menina foi libertada na Rússia depois de ter sido trancada em casa e torturada por seis anos por seus pais adotivos.

Depois de uma denúncia, a criança, com sete anos e meio de idade, foi encontrada pela polícia russa desnutrida e sofrendo de ulceração pelo frio, o que a deixou incapaz de andar.

Os vizinhos ficaram chocados ao descobrir sua existência, dizendo à mídia local que a menina parecia “faminta como um lobo” quando a viram ser resgatada.

Os amigos parecem não fazer ideia de que a família tinha uma filha adotiva, descrevendo as outras crianças da família também como “cuidadas”.

A pequena Irina é tão subdesenvolvida que tem o tamanho de uma criança de 3 anos e pesa menos de 9 kg. Ela não consegue comer, conversar ou andar, e não sabe usar o banheiro, embora fosse “totalmente saudável” quando deixou um orfanato em Bryansk, seis anos atrás.

Em contraste, todos os seis filhos naturais da mãe adotiva de Irina, Natalya Zubachyova, de 44 anos, alguns já adultos, são bem cuidados e praticam esportes regularmente.

Zubachyova foi detida por suspeita de “tortura” contra Irina e por não cumprir seus deveres parentais, crimes que levam a uma sentença de prisão de até 7 anos na Rússia.

A mãe adotiva e seu marido Igor, de 45 anos de idade, têm um filho natural quase da mesma idade que Irina. E a filha natural do casal também é bem cuidada, frequenta aulas de ginástica rítmica e é levada regularmente ao teatro e museus, segundo os relatos.

A pequena Irina foi trancada em um pequeno quarto na casa da família, mas os amigos não tinham ideia de que a família tinha uma filha adotiva. Ela nunca foi ao jardim de infância ou à escola, e suas pernas estão paralisadas pelo frio, sem dobrar, dizem os médicos que a examinaram.

A TV russa mostrou imagens da criança resgatada no hospital.

 

A Dra. Elena Galaganova, do Hospital Infantil Regional de Bryansk, disse: “A criança tem 7 anos e 7 meses de idade, mas seu desenvolvimento físico corresponde a três anos”.

A enfermeira Yelena Pobozhaya disse: “Ela não pode comer sozinha, nem segura uma colher”.

 

A menina foi resgatada depois que um vizinho, Vladislav Skorodumov, visitou a casa da família e abriu uma porta onde ele viu Irina amarrada à cadeira de bebê.

“Ela não podia sair dali sozinha. Suas pernas estavam azuladas, ela estava muito magra. Ela não tinha nada para beber e a urina estava no chão”, disse o vizinho.

Ele perguntou ao pai adotivo sobre a criança e Igor disse que “ele não se importava totalmente com ela”.

O pai adotivo disse ao vizinho que Irina veio dem um orfanato e que eles haviam recebido um subsídio estatal para “cuidar” dela.

“Peguei a criança e disse-lhe que não a devolveria até a polícia chegar. Eu a trouxe para casa, lavei-a e cozinhei um mingau para ela. Dei a ela água. Ela bebeu dois copos em um gole”, disse o vizinho.

Quando a polícia chegou, uma ambulância foi chamada imediatamente para resgatar a criança.

Outro vizinho, Mikhail Kozlov, disse: “Ninguém sabia que eles tinham uma menina adotiva. Para nós, vizinhos, foi um choque mesmo”.

“Zubachyova é uma mulher respeitável”, disse ele. “Todos os filhos dela são alimentados, bem vestidos e envolvidos em esportes.”

 

Com informações, Mirror.

Comentários

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

Economia

Mercado financeiro espera por nova alta da Selic para 9,25% ao ano.

Mundo

Washington ameaçou impor sanções a Moscou em caso de investida contra Kiev.

Mundo

Nesta terça-feira (30), a Rússia reiterou a parceria estratégica com o Brasil e comemorou a entrada do país, em janeiro de 2022, no Conselho...

Governo

Segundo a revista Veja, pelo menos 23 parlamentares do país asiático estiveram em Brasília.