Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Análise

Após anúncio de João Doria, Anvisa reage e diz que faltam dados sobre vacina chinesa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reagiu ao pronunciamento do governador João Doria (PSDB), após o mesmo anunciar que o início da vacinação no estado de São Paulo já está prevista para o dia 25 de janeiro.

Após a declaração do tucano, Anvisa divulgou uma nota nesta segunda-feira (7) afirmando que não recebeu dados essenciais para análise da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

O órgão assegura que ainda não teve acesso aos estudos da fase 3, que são os resultados finais dos testes em humanos.

O governo de São Paulo, por sua vez, diz que o material será enviado no próximo dia 15 de dezembro.

“Esse dado é essencial para a avaliação tanto de pedidos autorização de uso emergencial quanto pedidos de registro”, pontuou a Anvisa.

Leia a nota na íntegra:

Esclarecimentos sobre análise dos estudos da vacina Sinovac.

1. Até o momento, foram encaminhados dois conjuntos de dados de estudos de segurança e eficácia por meio do procedimento de submissão contínua. O primeiro foi encaminhado em 02/10/2020 e sua análise já foi concluída. O segundo foi encaminhado em 30/11/2020 e está em análise.

2. Não foram encaminhados dados relativos à fase III, que é a fase que confirma a segurança e eficácia da vacina. Esse dado é essencial para a avaliação tanto de pedidos autorização de uso emergencial quanto pedidos de registro.

3. A inspeção na empresa Sinovac foi concluída no dia 04/12: Após o final da inspeção, a equipe inspetora elabora um documento (Anexo III do POP-O-SNVS-001), onde são listados todas os achados da inspeção (potenciais não conformidades). Este documento será formalmente enviado ao Instituto Butantan até 3 dias úteis após a inspeção. O documento deve ser respondido formalmente pelo Instituto Butantan em até 5 dias úteis após o seu recebimento. Com base nas respostas fornecidas pelo IB, a equipe inspetora elabora o Relatório de Inspeção, o qual apesar de ter prazo procedimental máximo de 31 dias úteis, foi planejado nesta missão para que leve 10 dias úteis no máximo. O Relatório de Inspeção é o documento conclusivo quanto à Certificação, podendo as conclusões deste levarem ao deferimento ou indeferimento da certificação. Somando-se os dias apresentados, conclui-se que o Relatório de Inspeção deverá ser finalizado entre 30 de dezembro a 11 de Janeiro de 2020.

4. É importante destacar que para a solicitação de Autorização de Uso Emergencial é esperado que sejam apresentados minimamente os dados descritos do Guia sobre os requisitos mínimos para submissão de solicitação de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, de vacinas covid-19.

Não é a primeira vez

Vale destacar que esta é a segunda vez que a Anvisa divulga uma nota com posicionamento a respeito de anúncios feitos pelo governo de São Paulo. Na primeira oportunidade, após uma entrevista do governador João Doria, a agência veio a público para garantir que a “aprovação de vacina por autoridade regulatória da China” não libera aplicação do imunizante no Brasil.

Incoerências

Doria, que vive tentando emplacar a narrativa de que é um gestor que prioriza a ciência, que seus interesses estão focados no bem da população, na verdade não está conseguindo se conter.

As declarações e decisões prematuras do governador têm feito com que todos questionem os reais motivos para tentar emplacar a vacina chinesa a todo custo no território brasileiro.

O presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, já falou várias vezes que Doria possui interesses políticos na promoção da vacina Sinovac.

Não apenas isso, mas o próprio tucano tem falado publicamente no interesse nas eleições de 2022, inclusive para montar uma frente contra o atual presidente da República.

Os questionamentos que devem ser feitos são: até que ponto o governador de São Paulo está pensando na saúde da população? Até que ponto as estratégias de vacinação em massa não passam de um jogo político para fazer uso da medida como palco eleitoral? Até que ponto a população não será feita rato de laboratório chinês?

As ideias de João Doria parecem não corresponder aos fatos.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Saúde

Doses foram fabricadas em local não inspecionado pela autoridade sanitária.

Mundo

Embaixador diz que brasileiros precisam apresentar teste PCR negativo.

Governo

Queiroga acompanha Bolsonaro na reunião da ONU.

Saúde

Jovem de 16 anos faleceu sete dias depois de tomar a primeira dose da Pfizer.