Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Análise

O que revelam os áudios entre Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno?

Vazamento desmente declaração do ex-Secretário-Geral da Presidência.

Vazamento desmente declaração do ex-Secretário-Geral da Presidência.

Na tarde desta terça-feira (19), uma série de áudios entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Secretaria Geral Gustavo Bebianno foi divulgada pela revista Veja.

O ministro foi demitido na segunda-feira (18), após uma crise no governo. A demissão foi divulgada no Diário Oficial da União.

Se o Gustavo Bebianno acreditava que os áudios cedidos à Veja iriam ajuda-lo de alguma maneira, podemos concluir que o efeito se deu totalmente ao contrário.

Os áudios divulgados nesta terça apenas corroboram a versão de Carlos Bolsonaro, que desde o início garantiu que o ex-ministro não havia conversado com o presidente sobre o contexto do laranjal do PSL.

Gustavo Bebianno, numa clara tentativa de utilizar o presidente como escudo, indagado sobre a instabilidade no Executivo após a divulgação de supostas irreguladores eleitorais, utilizou do argumento que havia conversado “três vezes com o presidente”.

Conclui-se, portanto:

— Bebianno vazava informações do governo à mídia (assim como o fez com os áudios).

— Bolsonaro citou veículo no qual Bebianno seria informante (sendo o mesmo veículo que protesta abertamente contra a exoneração do ex-ministro).

— Bolsonaro deixa bem claro que não vai acobertar crime nenhum: “A Polícia Federal vai entrar no circuito, ela já entrou no circuito, para apurar a verdade”, ressaltou.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Governo

Declaração do presidente foi confirmada pelo dirigente do partido.

Mundo

Ditador afirma que declarações do brasileiro sobre a Covid-19 são “loucuras típicas de um extremista de direita”.

Governo

Presidente afirma que atos farão parte de "um momento ímpar para o futuro" do país.

Governo

Valor foi aprovado pelo Congresso na semana passada.