Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Conselho de Ética da Câmara abre processo contra deputado Glauber Braga

PL entrou com pedido de cassação contra deputado do Psol.

Elaine Menke | Câmara dos Deputados

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados abriu um processo contra o deputado Glauber Braga (Psol-RJ) por quebra de decoro parlamentar.

O documento, encaminhado pelo Partido Liberal, sustenta que o comportamento do deputado durante discussão com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), foi considerado desrespeitoso e agressivo. Na ocasião, Braga questionou se Lira não tinha vergonha por defender a privatização da Petrobras. Na sequência, um bate-boca se estendeu por vários minutos.

O tumulto aconteceu no final do mês passado, durante uma sessão sobre o fim de incentivos tributários para a indústria petroquímica.

“Nos últimos anos o deputado Glauber Braga, abusando de sua imunidade material, tem se comportado em plenário de modo desrespeitoso e agressivo, ofendendo a honra de outros parlamentares e lesando a imagem desta Casa”, diz a ação do PL, assinada pelo presidente do partido, Valdemar da Costa Neto.

Em reação, o Psol chegou a protocolar uma representação contra Lira na ocasião do bate-boca, alegando que o presidente da Câmara extrapolou as prerrogativas do cargo ao ameaçar acionar a Polícia Legislativa contra Braga, com claro intuito de retirar o deputado do plenário.

Os deputados que poderão relatar o processo contra Glauber Braga são: Márcio Marinho (Republicanos-BA); Marcelo Nilo (Republicanos-BA) e Gilberto Abramo (Republicanos-MG).

Com a lista tríplice citada em mãos, conforme os nomes citados acima, presidente do Conselho de Ética, Paulo Azi (União-BA), deverá escolher um deles para ser relator do caso.

A decisão deve ser tomada na próxima reunião do colegiado.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Congresso

Presidente da Câmara e Glauber Braga discutiram durante sessão legislativa.

Congresso

Deputado é acusado de ter ameaçado manifestantes em redes sociais

Congresso

Punição por 6 meses só será efetivada com o voto da maioria dos deputados no plenário.

Congresso

Legenda afirma que o deputado “abusa da imunidade parlamentar para cometer atos ilícitos”.