Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Economia

Banco Central aumenta para 1,7% previsão de alta do PIB em 2022

Projeção do BC supera a do governo, que estima crescimento de 1,5%.

Julio Talledo | Flickr

O Banco Central (BC) projetou, para 2022, alta de 1,7% do Produto Interno bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. A previsão anterior, divulgada em março, era de um crescimento de 1%.

A revisão foi apresentada nesta última quinta-feira (23) pelo diretor de Política Econômica do BC, Diogo Abry Guillen, em coletiva de imprensa que contou com a participação do presidente da instituição, Roberto Campos Neto.

O anúncio foi uma prévia do relatório trimestral de inflação, adiado para o dia 30, devido à greve de servidores do BC.

Há expectativa de “arrefecimento da atividade no segundo semestre” em decorrência dos “os efeitos cumulativos do aperto monetário; da persistência de choques de oferta; e das antecipações governamentais às famílias para o primeiro semestre”.

Guillen cita como principais componentes da demanda doméstica a alta no consumo das famílias e o recuo dos investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo – FBCF).

O BC aumentou as projeções para a inflação nos próximos três anos. Para 2022, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) projetado passou dos 6,3%, previstos em março para 8,8%.

O centro da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano está em 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2023, ano em que a meta está em 3,25%, o BC projeta inflação de 4%, ante aos 3,1% divulgados em março. Já para 2024, ano em que a meta definida pelo CMN está em 3%, as projeções passaram de 2,3% para 2,7%.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Economia

Fundo Monetário Internacional estimava taxa em 0,8% em abril.

Mundo

Política de "fecha tudo" para conter a covid-19 afetou os principais setores produtivos do país.

Economia

Banco previa alta de 1,6% na economia brasileira; PEC dos Benefícios é a aposta principal.

Governo

Campos Neto também avalia que o ciclo de alta de juros no Brasil está perto do fim.

----- CLEVER ADS -----