Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Economia

Estudo para privatização do Porto de Santos será concluído ainda este ano

Quem vencer a disputa pelo maior complexo portuário do Brasil terá de investir R$ 16 bilhões.

A.Davey | Flickr

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta quarta-feira (27) que os estudos para definição do modelo de privatização do Porto de Santos, no litoral paulista, estão perto da conclusão e uma consulta pública sobre a desestatização deve ocorrer ainda este ano.

“Acredito que agora no final do mês de novembro ou início do mês de dezembro estamos soltando os documentos para audiência pública”, declarou Tarcísio, durante um seminário online sobre Agronegócio, promovido pelo banco BTG Pactual.

Segundo ele, o modelo para privatização do porto é preparado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A proposta vencedora do leilão deverá aplicar um grande volume de recursos para aprimorar a infraestrutura em Santos. “Estamos falando em R$ 16 bilhões em investimento”, projetou o ministro.

Entre as obras que devem ser tocadas pela concessionária vencedora está aprofundamento do canal do porto de 15 metros para 17 metros, a construção de um túnel entre Santos e Guarujá e diversas outras melhorias nos acessos rodoviário e ferroviário em torno do porto.

Com a privatização e os investimentos, a ideia do governo é que Santos se torne “o grande hub para contêineres da América Latina”.

Isso deve ser incentivado também pela BR do Mar, como é chamado o projeto de lei de incentivo à navegação de cabotagem que tramita atualmente no Senado e que o governo espera ver aprovado em breve, ressaltou o ministro.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Economia

Resultado foi comemorado pelo setor de Infraestrutura do governo federal.

Governo

Presidente ressalta que processo de venda da petroleira é uma 'complicação enorme'.

Análise

Texto cria duas categorias de atuação para novos operadores postais.

Congresso

Deputados ainda analisarão destaques antes de a proposta ir ao Senado.