Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Proposta de voto impresso auditável diminui segurança das eleições, diz Barroso

Nelson Jr. | SCO | STF

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, voltou a criticar a proposta que institui o voto impresso auditável no Brasil. Para ele, a medida significaria diminuição da segurança do processo eleitoral.

“Vão pedir recontagem. Vai dar defasagem entre os votos. Vão questionar e judicializar com pedido de fraude. Na recontagem, vai sumir voto, aparecer voto. Isso tudo vai diminuir a segurança. […] Em partes do país isso pode significar o risco de vida”, declarou.

O ministro chamou de “bobagens” as declarações sobre possibilidade de fraude e disse esperar que o fim desse discurso ocorra primeiro por meio do “surgimento da verdade do que pela persecução criminal”.

De acordo com o presidente do TSE, as recentes falas do presidente da República sobre uma possível eleição fraudada não são criminosas, no entanto, “se forem consideradas como atentados à liberdade do voto e à democracia, podem ser eventualmente classificadas como crime de responsabilidade. Mas aí é uma matéria política para o Congresso Nacional”, ressaltou.

Barroso participou de transmissão ao vivo promovida pelo Grupo Prerrogativa para discutir “tensões que permeiam o processo eleitoral” e a “pressão do Executivo pela volta do voto impresso”.

Além do presidente do TSE, o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, também participou da conferência digital.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Segunda Turma entendeu que Marcelo Bretas não tem competência para julgar desvios na Saúde.

Judiciário

Segunda Turma engavetou a acusação apresentada contra o empresário Jacob Barata Filho.

Judiciário

Ação no Supremo terá como relator o ministro Alexandre de Moraes.

Política

No último pleito, Marina sofreu perda expressiva de votos, despencando cinco posições.