Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

PGR diz que foi contra prisão de Roberto Jefferson: ‘Censura prévia’

Augusto Aras afirma que não vai ampliar ‘clima de polarização’ no país.

Rafael Luz | STJ

O procurador-geral da República, Augusto Aras, divulgou nesta sexta-feira (13) nota à imprensa para defender a atuação no pedido de prisão do ex-deputado e presidente do PTB, Roberto Jefferson. Aras afirmou que se manifestou contra a detenção por entender que a medida representaria “censura prévia à liberdade de expressão”.

“Em respeito ao sigilo legal, não serão disponibilizados detalhes do parecer, que foi contrário à medida cautelar, a qual atinge pessoa sem prerrogativa de foro junto aos tribunais superiores. O entendimento da PGR é que a prisão representaria uma censura prévia à liberdade de expressão, o que é vedado pela Constituição Federal”, diz o comunicado oficial.

O procurador afirmou ainda que não vai ampliar o “clima de polarização” no país: “A PGR não contribuirá para ampliar o clima de polarização que, atualmente, atinge o país, independentemente de onde partam e de quem gere os fatos ou narrativas que alimentam os conflitos”.

Na manhã de hoje, a Polícia Federal (PF) prendeu Roberto Jefferson. Os agentes cumpriram mandado expedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A prisão foi justificada após publicações de supostos ataques aos ministros da Corte nas redes sociais do ex-deputado.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Presidente recorreu à PGR após ação ser rejeitada pelo Supremo.

Política

Ação protocolada por presidente foi rejeitada no Supremo Tribunal Federal.

Judiciário

7 dos 11 ministros já manifestaram votos contrários.

Últimas

Futuro presidente do TSE falou sobre o processo eleitoral do país.