Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Rosa Weber encaminha à PGR notícia-crime contra Alcolumbre

Ação diz que senador comete crime ao não marcar a sabatina de André Mendonça.

TSE | Flickr

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma notícia-crime apresentada contra o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O encaminhamento à PGR é procedimento de praxe.

Por meio de uma ação, o advogado Rodrigo Marinho sustenta que o parlamentar comete crime ao não pautar a sabatina do ex-advogado-geral André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Marinho acusa o senador de concussão, discriminação religiosa e de crime de responsabilidade.

Ainda segundo o advogado, Alcolumbre “impede a sabatina, além do fato de retaliação e desejo de ter vantagem em troca, pratica ainda ato discriminatório contra religião tratada na Lei 7.716/89”, além de destacar que Mendonça atende todos os critérios para ocupar uma das cadeiras do Supremo.

Conforme vem registrando o Conexão Política, André Mendonça aguarda há mais de 90 dias para que a sabatina seja agendada. O processo, portanto, é obrigatório para que um jurista passe pela avaliação do plenário do Senado e, posteriormente, ocupe a cadeira da Suprema Corte.

Em nota, a assessoria de imprensa de Davi Alcolumbre afirmou que atos praticados no exercício do mandato são regulares, “em estreita observância às leis e à Constituição Federal, como já reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal”.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Política

Presidente da CCJ não definiu data, mas arguição deve ocorrer na semana que vem.

Congresso

Este ano, 19 pareceres foram proferidos, menos da metade de 2020.

Judiciário

Por 8 votos a 2, Suprema Corte negou prosseguimento ao pedido da legenda.

Congresso

Tensão continua nos bastidores do Congresso.