Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Senado aprova indicação e Mendonça é o novo ministro do Supremo

Ele poderá ocupar a cadeira na Suprema Corte pelos próximos 27 anos, até 2048.

Cristiano Mariz | Veja

O Plenário do Senado Federal aprovou na noite desta quarta-feira (1º) a indicação do ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça André Mendonça para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF).

Foram 47 votos favoráveis, 32 contrários e nenhuma abstenção. Ele foi designado há quase 5 meses pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para substituir o ex-decano Marco Aurélio Mello, que se aposentou em julho.

Nos períodos da manhã e da tarde, Mendonça foi sabatinado durante cerca de 8 horas pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que encaminhou a indicação para o Plenário com 18 votos favoráveis e 9 contrários.

Perfil

Nascido em Santos (SP), André Mendonça é advogado da União desde 2000, foi assessor especial do ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, de 2016 a 2018, e ministro da Justiça e Segurança Pública, de 2020 a 2021.

Ele é doutor em Direito e também possui formação em Teologia, além de ser pastor da Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília. Atuou como professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie de Brasília e é professor visitante na Universidad de Salamanca, na Espanha, e na Fundação Getulio Vargas (FGV).

Quase 30 anos de cargo

Aos 48 anos, André Mendonça poderá ocupar a cadeira na Suprema Corte pelos próximos 27 anos, levando em conta a regra atual de aposentadoria compulsória.

O novo integrante da instância máxima do Judiciário atingirá os 75 anos — idade em que os ministros do Supremo são obrigados a deixar o posto — em 27 de dezembro de 2048.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Entidades do Judiciário vão se reunir com Rosa Weber para tratar do assunto.

Judiciário

Lewandowski também quer ouvir explicações sobre supostas irregularidades na inoculação em crianças.

Congresso

Medida ainda não foi oficializada pelo presidente da Casa.

Judiciário

Valor anual pode ultrapassar R$ 2,3 mi; Corte diz que cargo de ministro 'requer alto grau de segurança'.