Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Vídeo: Cabral detalha acusações de propina contra Dias Toffoli

Em trecho do vídeo de delação, ex-governador do Rio acusa ministro de ter vendido sentenças no TSE.

presidente da Corte, Dias Toffoli, que fará um discurso sobre o reinício dos trabalhos forenses. Participam da solenidade os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da Defesa, Fernando Azevedo, e da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves; a procuradora-geral da República, Raquel Dodge

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, acusou Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), de ter recebido propina em troca de sentenças favoráveis a dois prefeitos fluminenses quando atuava no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Vale lembrar que Toffoli foi ministro da Corte eleitoral de 2012 a 2016, tendo exercido o cargo de presidente do Tribunal entre maio de 2014 a maio de 2016.

O R7, portal de notícias da RecordTV, obteve acesso ao vídeo da delação premiada. Nas imagens, Cabral afirma que o magistrado lidera um grupo de pessoas “para busca de vantagens indevidas”.

O ex-governador diz à Polícia Federal (PF), inclusive, que foi testemunha dos relatos que fez por ter participado diretamente das ações.

“Tive a informação da prefeita Branca Motta, do município do Bom Jesus do Itabapoana […]. A prefeita Branca Motta é uma aliada minha durante os últimos 20 anos. Ela me relatou, em 2014, que tinha sofrido uma derrota no TRE [Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro] e estava recorrendo para não ser cassada no TSE”, relatou o ex-governador.

A então prefeita, por intermédio de José Luiz Solheiro, “encontrou a solução para conquistar com vantagens indevidas o voto de Dias Toffoli no Tribunal Superior Eleitoral”, disse Cabral.

Ainda segundo ele, os políticos de seu grupo buscavam “com José Luiz Solheiro soluções no Tribunal Superior Eleitoral, e não estou excluindo do Supremo Tribunal Federal, porque Solheiro operava para Dias Toffoli sob qualquer circunstância”.

A assessoria de Dias Toffoli nega as acusações e garante que o ministro não tem conhecimento dos fatos mencionados pelo ex-mandatário do Rio de Janeiro. Ainda de acordo com a equipe, o ministro jamais atuou para favorecer qualquer pessoa no exercício de suas funções no Judiciário.

Assista ao vídeo abaixo:

Comentários

Conexão Política é um veículo digital inteiramente comprometido com a cobertura e a análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | contato@conexaopolitica.com.br

Governo

Montante também será usado para custear atividades de observação eleitoral.

Judiciário

Órgão diz que aquisição de respiradores foi considerada irregular e com sobrepreço.

Judiciário

Ministros entenderam serem ilícitas captações feitas sem consentimento dos demais presentes e da Justiça.

Política

TSE ainda precisa confirmar a integração entre as duas legendas.