Conecte-se conosco

Política

CGU vai investigar ‘supernotificações’ de mortes por Covid-19, diz Bolsonaro

Estados podem ter inflado números de óbitos na pandemia, de acordo com o presidente.

Publicado

em

Isac Nóbrega | PR

Após admitir que o Tribunal de Contas da União (TCU) não fez relatório sobre mortes por Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (8) que a Controladoria-Geral da União (CGU) vai investigar o que, segundo ele, são ‘fortes indícios’ de ‘supernotificação’.

Ontem, ao negar a existência de relatório que questionaria o número de mortes pela doença no Brasil, o chefe do Executivo declarou:

“O TCU está certo. Eu errei quando falei tabela. O certo é acórdão. O que acontece? Tem uma lei complementar do ano passado que diz que a distribuição de verbas do governo federal para estados leva-se em conta alguns critérios. O mais importante era a incidência de Covid. E o próprio TCU dizia o que? Que essa lei complementar poderia incentivar uma prática não desejável da supernotificação de Covid para aquele estado ter mais recurso”, declarou Bolsonaro.

Apesar disso, o mandatário frisou que o governo federal “vai para cima” de estados para apurar possíveis supernotificações.

“Acho que agora está justificado o que foi falado. A gente pode errar. E eu não tenho compromisso com o erro. Não tem problema nenhuma. Agora, nós vamos para cima agora, para exatamente apurar quais estados fizeram supernotificação em busca de mais dinheiro”, completou.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.