Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Aras pede ao STF que dinheiro nas malas de Geddel seja usado no combate ao coronavírus

Nesta quinta-feira (26), o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que o dinheiro apreendido no “bunker” do ex-ministro Geddel Vieira Lima seja usado na compra de equipamentos e materiais médicos para combater os efeitos do coronavírus no Brasil.

O montante é de R$ 50 milhões e o pedido foi enviado ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo.

Segundo o procurador-geral, “tendo em vista a crise na saúde pública decorrente da pandemia vivenciada, o caráter fungível dos valores pecuniários apreendidos, bem como a orientação para o emprego de recursos obtidos a partir de condenações penais no combate à doença, vislumbra-se a possibilidade de se destinar, desde logo, os valores apreendidos no endereço vinculado aos réus para a aquisição de materiais e equipamentos médicos”.

A apreensão ocorreu em setembro de 2017. A Polícia Federal descobriu as nove malas com o dinheiro em um apartamento de Salvador/BA.

De acordo com as investigações, o apartamento foi emprestado ao ex-ministro para que guardasse os pertences do seu pai, já falecido. Durante as investigações sobre Geddel, surgiu a suspeita de que ele estava usando o local para esconder provas de atos ilícitos e dinheiro em espécie.

Em outubro de 2019, Geddel, que está preso, foi condenado a 14 anos e 10 meses de cadeia pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

 

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Últimas

Segundo investigações, ele usava a internet para enaltecer massacres e defender ideais nazistas.

Judiciário

Mandados judiciais foram cumpridos em duas capitais do país.

Congresso

Congressistas também encaminharam o parecer ao procurador-geral da República.

Congresso

Senador é acusado de ter recebido R$ 1 milhão em propina da empresa em 2012.