Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Projeto de lei aprovado em SP impõe restrições a quem não tomar vacina contra Covid-19

Texto segue para sanção do governador João Doria.

Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estam na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (20), um projeto de lei que impõe medidas a quem não se vacinar contra a Covid-19.

De acordo com o G1, o texto prevê que todo cidadão que não estiver imunizado após as fases correspondentes do plano de vacinação, não terá o direito de utilizar o transporte público, ingressar em instituições de ensino e prestar concursos públicos.

A emissão de documentos, inclusive, também não será permitida sem a vacinação.

Em um dos artigos da legislação aprovada, há um trecho que determina que “ninguém poderá se escusar da imunização”.

Por meio de um comprovante de vacinação, o Estado terá condições de aplicar a exigência da documentação em:

Ingresso de alunos, professores e funcionários em creches, escolas e universidades;

Embarque em meios de transporte como aviões, ônibus, trens e metrô;

Inscrição em concursos e a contratação em órgãos públicos.

O autor do PL é o deputado estadual Campos Machado (Avante). De acordo com ele, a vacinação não pode ser uma decisão individual, mas uma realidade que impacta diretamente na saúde pública.

“Não há possibilidade de uma pessoa não querer se vacinar quando pode prejudicar a si próprio e terceiros”, argumenta o parlamentar.

A proposta foi aprovada pela maioria dos deputados que compareceram à sessão e agora será encaminhado ao Palácio dos Bandeirantes. O governador João Doria (PSDB) terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar o texto.

Caso aprovado, o governo estadual ficará responsável por regulamentar a forma de aplicação e estabelecer os meios de fiscalização para garantir a imposição das restrições.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Rede social diz que trechos continham 'informações médicas incorretas' sobre a pandemia.

Política

Menos de dois meses após flexibilização, uso do item em locais fechados volta a ser exigido.

Mundo

Um ano atrás, a entidade considerou a hipótese como "extremamente improvável".

Judiciário

O recurso acolhido é do Partido dos Trabalhadores (PT).

----- CLEVER ADS -----