Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Deputado do PSB é eleito presidente da comissão sobre prisão em 2ª instância

Colegiado foi reinstalado na Câmara nesta quinta-feira (15).

A Câmara dos Deputados reinstalou nesta quinta-feira (15) a comissão especial que discute a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199/19, que trata da prisão de pessoas condenadas após o julgamento em segundo grau de jurisdição.

O deputado Aliel Machado (PSB-PR) foi eleito o presidente do colegiado.

O julgamento em segunda instância é realizado por tribunais que revisam decisões de juízes de primeira instância.

Na Justiça comum, a segunda instância são os tribunais de Justiça (TJs) – um em cada estado. Na Justiça Federal, a segunda instância são os tribunais regionais federais (TRFs).

Atualmente, a possibilidade de recursos se estenderem ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) pode retardar o trânsito em julgado em muitos anos.

A comissão vai se debruçar sobre a proposta que altera os artigos 102 e 105 da Constituição Federal de 1988 para acabar com o recurso extraordinário ao STF e com o recurso especial no caso do STJ, respectivamente.

Com isso, o trânsito em julgado da ação ocorrerá após o julgamento em segunda instância nos tribunais de Justiça dos estados ou nos TRF’s.

“Tal alteração permitiria a execução imediata das decisões das cortes regionais, sejam os Tribunal de Justiça dos Estados, sejam os Tribunais Regionais Federais e Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, cortes estas que promovem, efetivamente, análise probatória – razão pela qual seu julgamento deve ser prestigiado”, argumentou o autor da PEC, o deputado federal Alex Manente (Cidadania-SP).

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Desembargador mandou processos recomeçarem na Justiça Eleitoral.

Congresso

Proposta será encaminhada ao Senado após votação de destaques.

Judiciário

Corte entendeu que processo deveria ser conduzido pelo Tribunal de Justiça.

Congresso

Parlamentar apresentou PEC às vésperas do início da COP-26, evento da ONU sobre o clima.